11 de setembro de 2015

Centro de Excelência do Cerrado será inaugurado no Jardim Botânico


No Dia Nacional do Cerrado, 11 de setembro, os brasilienses ganharão um espaço exclusivo para estudo, educação, proteção e preservação da fauna, flora e recursos hídricos do Centro-Oeste. O Centro de Excelência do Cerrado do Jardim Botânico de Brasília será inaugurado na sexta-feira (11), às 15 horas, e os últimos preparativos são feitos pelos funcionários.
O local de 1.622 metros quadrados tem salas para pesquisa, exposições, seminários, reuniões e apresentações culturais. A solenidade está dentro da programação da Virada do Cerrado, que ocorre de sexta-feira a domingo (13), com atrações voltadas para a cidadania e a sustentabilidade do Distrito Federal. Veja a programação completa.
Para o diretor-executivo do Jardim Botânico de Brasília, Jeanitto Sebastião Gentilini Filho, o centro é importante porque valoriza o bioma que é o berço das águas do Brasil. De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, a área contínua está sobre Goiás, Tocantins, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Bahia, Maranhão, Piauí, Rondônia, Paraná, São Paulo e Distrito Federal, além de trechos no Amapá, em Roraima e no Amazonas. Nesse espaço territorial encontram-se as nascentes das três maiores bacias hidrográficas da América do Sul — Amazônica/Tocantins, São Francisco e Prata. 

Compensação ambiental 
A ideia nasceu com o Plano de Manejo do Jardim Botânico — documento elaborado com ações de conservação do local — há aproximadamente sete anos.
Em 2013, as obras foram iniciadas após um acordo de compensação ambiental — ressarcimento por danos causados ao meio ambiente — com a empresa responsável pela construção do setor habitacional Jardins Mangueiral. O Centro de Excelência do Cerrado custou R$ 2,7 milhões.
O local funcionará por meio de parcerias com o governo, instituições de ensino privadas e públicas, além da contribuição da sociedade. “A proposta do centro é o coletivo”, resume Gentilini Filho.

Sarau e exposições
Nesta sexta-feira, as atividades no Centro de Excelência começarão logo cedo, às 8 horas, com o café dos chefs e produtores participantes da 2ª edição do Festival Gastronômico Cerrado Week. Haverá um sarau com os artistas Nicolas Behr, Maíra Oliveira Rômulo Andrade, Bic Prado, Marcos Freitas e Jorge Amâncio.
Quem for à inauguração poderá percorrer as exposições Refazendo o Caminho de Gardner e Portal do Cerrado, que ficarão expostas por tempo indeterminado. A primeira, organizada pelo Projeto Florescer da Universidade de Brasília (UnB), conta a história do médico e botânico escocês George Gardner (1812-1849), quando esteve no Brasil entre 1836 e 1841 para coletar plantas. Ele percorreu a Caatinga, o Cerrado e a Mata Atlântica.
O botânico catalogou exemplares da flora brasileira e, na mostra, será possível ver alguns deles e artefatos utilizados pelo pesquisador — como moedas, armas, lupas — além de fotos e aquarelas.
A segunda exposição está a cargo da organização não governamental World Wide Fund for Nature no Brasil (WWF-Brasil), em parceria com o Programa Água Brasil, do Banco do Brasil, e a empresa Inframérica. O objetivo é retratar tanto a biodiversidade da fauna e flora do Cerrado quanto a cultura.
Com cerca de 30 fotos, foi exibida pela primeira vez em fevereiro, no Aeroporto Internacional de Brasília Presidente Juscelino Kubitschek, para levar a cultura e a vegetação do Centro-Oeste aos visitantes. Foi exposta também na Câmara dos Deputados e na sede do WWF em Brasília.

Inauguração do Centro de Excelência do Cerrado
11 de setembro de 2015 (sexta-feira)
Às 15 horas
Jardim Botânico de Brasília
Setor de Mansões Dom Bosco, Área Especial, Lago Sul
Entrada: R$ 2 
Mais informações: (61) 3366-2141 
Fonte: Agência Brasília
Reações:

Comente com o Facebook:

0 comentários: